Dia Internacional da Mulher: conheça dez brasileiras que fizeram a diferença

Dia Internacional da Mulher: conheça dez brasileiras que fizeram a diferença

Celebrado no mundo todo, o dia 8 de março é um marco no que diz respeito aos direitos das mulheres. O primeiro dia internacional das mulheres, contudo, foi comemorado em maio de 1908 nos Estados Unidos quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação que pedia a igualdade econômica e política no país. Naquela época, elas trabalhavam aproximadamente 15 horas diárias e os salários eram muito inferiores aos dos homens.
Porém, foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, que era adotado na Rússia) que aproximadamente 90 mil operárias se manifestaram contra o Czar Nicolau II, o último imperador da Rússia. Elas reivindicavam contra as más condições de trabalho, fome e a participação do país na Primeira Guerra Mundial. Após mais de 20 anos, em 1945, a organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que garantia os direitos das mulheres.
Em todos esses anos de lutas, ficou claro que algumas mulheres tiveram, e continuam tendo, papel fundamental na conquista pela igualdade. Por isso, separamos algumas das que mais se destacaram para que sirvam de inspiração para todas que, assim como elas, acreditam que podem fazer a diferença.
1. Dandara
A esposa de Zumbi dos Palmares esteve o tempo todo ao lado dele na luta pela libertação dos negros da escravidão. Ela não fugia da briga e sabia manejar armas e caçar muito bem.
2. Tarsila do Amaral
No mundo da arte também temos uma representante do sexo feminino e é uma mulher. Tarsila é a autora da pintura brasileira mais valorizadas da história, o Abaporu, que custa mais de US$ 2,5 milhões.
3. Marta
Muitos não sabem, mas a brasileira foi eleita como a melhor jogadora do mundo por cinco anos consecutivos (entre 2006 e 2010). Nem mesmo pelé conseguiu alcançar essa marca!
4. Maria Quitéria
Foi ela que lutou pela independência do Brasil. Para poder fazer isso na época, a ‘Joana D’Arc brasileira teve que se disfarçar de homem e se apresentar como soldado Medeiros aos oficiais.
5. Hebe Camargo
Ela foi considerada a Rainha da televisão brasileira. Não é por menos, a eterna musa esteve ao lado de Assis Chateaubriand no nascimento da TV Tupi, a primeira emissora de televisão do país. Ela foi a apresentadora do primeiro programa feminino lançado no Brasil, que recebeu o nome de ‘O Mundo é das Mulheres’.
6. Leila Diniz
Ela foi a primeira mulher grávida a usar biquíni na praia, desmistificando um tabu que imperava na época. Na TV, ela era uma das poucas que falava abertamente sobre sexo.
7. Roberta Close
Ela foi um marco quando se fala nos direitos de transexuais no país. Roberta foi a primeira cebebridade transexual do Brasil. A modelo internacional, apesar de ter sido operada em 1989, ela só conseguiu ser reconhecida legalmente como mulher em 2005.
8. Maria da Penha
É difícil de encontrar alguém que não conheça essa mulher. Depois de passar por duas tentativas de assassinato por parte do marido e 20 anos de lutas, ela consegiu punir seu agressor e teve uma lei que recebeu seu nome. A lei defende as mulheres que sofrem qualquer tipo de violência doméstica.
9. Chiquinha Gonzaga
A primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil é também a autora da primeira marchinha de carnaval da história, ‘Ó Abre Alas’, feita em 1899. O Dia Nacional da Música Popular Brasileira é comemorado em 17 outubro, data do aniversário de Chiquinha.
10. Zilda Arns
Pediatra importantíssima, Zilda foi a fundadora da pastoral da Criança, uma instituição ligada à igreja católica que hoje funciona em 20 países e atende mais de 1,5 milhão de crianças e adolescentes. Zilda esteve em uma missão no Haiti, porém acabou falecendo no terremoto que ocorreu em 2010 naquele país. (Com informações de revista Escola e M de Mulher)

Posts Relacionados

Deixe um comentárioSeu endereço de e-mail não será publicado.